Mecânico e Automotivo – Promova seus produtos através da certificação

DESAFIO DA EMPRESA

A Certificação de Produto é a condição essencial para cumprimento das regras nacionais e internacionais visando à comercialização no mercado nacional e internacional, bem como promovê-lo no mercado.

O Bureau Veritas é um Organismo Certificador de Produto (OCP) acreditado no Brasil pelo INMETRO e em diversos países da América Latina, Europa, Rússia e China.

A Certificação agrega valor ao seu produto através da qualidade, confiabilidade e credibilidade que lhes são atribuídas.


SOLUÇÃO

O que é a Certificação de Produto?

A Certificação de Produto, também conhecida como Avaliação da Conformidade, é um processo sistematizado, acompanhado e avaliado, de forma a propiciar adequado grau de confiança de que um produto atende a requisitos pré-estabelecidos em normas e regulamentos técnicos, nacionais e internacionais.

A Certificação de Produto pode ser classificada como Compulsória e/ou Voluntária:

Compulsória: regulamentada por lei ou portaria baseadas nas questões de saúde, segurança e meio ambiente. Os produtos listados nas regulamentações apenas podem ser comercializados após a sua certificação.

Voluntária: mesmo não sendo um requisito obrigatório proporciona aos produtos uma vantagem competitiva, além de demonstrar que seguem uma norma e que foram avaliados em diversos itens de qualidade, segurança e desempenho.


Quais são os produtos mecânicos e automotivos que podem ser certificados?

Rodas Automotivas: Certificação compulsória, exigida pela Portaria 445/2010 do INMETRO, que inclui rodas disco, aros desmontáveis, roda de aço para automóveis, veículos de uso misto ou de carga deles derivado, camionetas de uso misto e seus rebocadores, roda de liga de alumínio para automóveis, comerciais leves e utilitários esportivos.

Componentes Automotivos: Certificação compulsória, exigida pela Portaria 301/2011 do INMETRO, que inclui amortecedores de suspensão, bombas elétricas de combustível para motores de ciclo otto, buzinas ou equipamentos similares utilizados em veículos rodoviários automotores, pistões de liga leve de alumínio, pinos e anéis de trava (Retenção), anéis de pistão, bronzinas, lâmpadas para veículos automotivos, destinados ao mercado de reposição.

Vidros de segurança de para-brisas: Certificação compulsória, exigida pelo INMETRO, que inclui vidro de segurança laminado para pára-brisa de veículos rodoviário automotor (Portaria 157/2009) e Vidro de segurança temperado para veículos rodoviários automotor (Portaria 156/2009).

Pneus automotivos: Certificação compulsória, exigida pela Portaria 482/2010 do INMETRO, que inclui Pneus Novos de Motocicleta, Motoneta e Ciclomotor, Automóvel de Passageiros, inclusive os de uso misto, e rebocados, Veículos Comerciais, Comerciais Leves e Rebocados.

Barras e fios de aço: Certificação Compulsória, exigida pelas Portarias 003/2011, 73/2010 e 143/2005 do INMETRO, que inclui barras e fios de aço destinados a armaduras para estruturas de concreto armado

Cabos de aço: Certificação Compulsória, exigida pela Portaria 176/2009 do INMETRO, que inclui cabos de aço de uso geral

Tubos de aço: Certificação Compulsória, exigida pela Portaria 015/2009 do INMETRO, que inclui tubos de aço-carbono para uso comum na condução de fluídos.

Cilindros de aço para GNV: Certificação Compulsória, exigida pelas Portarias 198/2000, 278/2000 e 090/2001 do INMETRO, que inclui cilindros de aço sem costura, destinados ao armazenamento de gás metano veicular.

Cilindros de aço de alta pressão para GNV: Certificação Compulsória, exigida pela Portaria 171/2002 do INMETRO, que inclui Cilindros de alta pressão para armazenamento de gás natural veicular como combustível, a bordo de veículos automotores.

Componentes do sistema de gás natural veicular – GNV: Certificação Compulsória, exigida pela Portaria 257/2002 do INMETRO, que inclui linha de alta pressão, linha de baixa pressão, redutor de pressão, válvula de cilindro, suporte de cilindro, sistema de ventilação

Recipientes transportáveis para Gás Liquefeito de Petróleo – GLP (botijão de gás): Certificação compulsória, exigida pela Portaria 418/2010 do INMETRO.

Conexões de Ferro Fundido: Certificação Compulsória, exigida pela Portaria 160/2007 do INMETRO, que inclui conexões de ferro fundido maleável para a condução de fluídos.


Quais são os principais benefícios?

A Avaliação da Conformidade é um poderoso instrumento para o desenvolvimento industrial e para a proteção do consumidor. Entre os benefícios que gera para todos os segmentos da sociedade, podemos destacar o estímulo à concorrência justa e à melhoria contínua da qualidade, o incremento das exportações e o fortalecimento do mercado interno.

Além disso, você pode diferenciar-se dos concorrentes oferecendo um produto certificado de maneira voluntária. O Bureau Veritas Certification tem ampla experiência no desenvolvimento de padrões próprios e/ou uso de padrões internacionais de certificação.


PORQUE ESCOLHER O BUREAU VERITAS?

Rede – Mais de 24 Auditores qualificados que operam mundialmente oferecendo uma combinação única de experiência internacional e local prestando serviços consistentes onde quer que nossos clientes estejam.

Experiência – Nossos auditores possuem amplo conhecimento de setores específicos da indústria, regulamentos locais, mercados e de idioma que lhes permite oferecer soluções adaptadas às suas necessidades.

Reconhecimento – O Bureau Veritas é acreditado pelo INMETRO para certificação de produtos.

Laboratórios – O Bureau Veritas possui mais de 200 laboratórios acreditados em todo o mundo.

Marca de Reconhecimento Global – A Marca do Bureau Veritas é um símbolo mundialmente reconhecidode compromisso constante de sua organização com a excelência, sustentabilidade e confiabilidade.


FAQ

Como funciona o processo de Certificação de Produtos?

Modelo de Certificação com Avaliação do Sistema da Qualidade e Ensaios de Tipo no Produto (Modelo 5)

Este modelo inclui ensaios de tipo e avaliação do sistema da qualidade da fábrica. São realizadas auditorias periódicas no sistema da qualidade, inspeções periódicas na produção ou ensaios periódicos em amostras do produto coletadas no comércio ou na produção, para avaliar a conformidade. Normalmente empregado para produtos com repetitividade na produção

1. Auditoria Inicial:

O Regulamento Técnico aplicável ao produto requer uma avaliação do sistema dequalidade do fabricante. Essa avaliação é baseada nos requisitos da ISO 9001:2008. O escopo da auditoria é baseado nos requisitos do Regulamento Técnico.


2. Avaliação do projeto do produto a certificar

Um Auditor Especialista é designado para ser o responsável pela avaliação técnicado produto. Este Especialista conduz a avaliação construtiva, solicita e supervisiona a condução de ensaios em laboratórios, avalia os registros de ensaio, prepara osrelatórios de avaliação e ensaios e os procedimentos de acompanhamento e submetetodos os resultados a uma aprovação internamente.


3. Revisão Interna e Decisão da Certificação

Uma vez concluído todos os requisitos para a certificação do produto, o Bureau Veritas apresenta os resultados à Comissão Interna de Certificação, sendo verificadas as características técnicas e sistemáticas do processo.

No caso da aprovação pela Comissão Interna de Certificação, o Bureau Veritas comunica ao Solicitante o Número do Certificado, emite e envia o Certificado ao Solicitante.


4. Validação da Decisão da Certificação

Todos os processos de certificação de produtos aprovados pela Comissão Interna decertificação, mesmo já tendo sido emitidos os certificados de conformidade, sãoapresentados à Comissão Externa de Certificação para a validação do processo decertificação, quando requerido pelo regulamento técnico do Inmetro.


5. Manutenção da Certificação

Após a emissão do Certificado, será estabelecido um programa de auditoria na fábrica. Através de visitas, o Bureau Veritas verificará periodicamente e fará avaliações no Sistema da Qualidade. Esta avaliação periódica é considerada parte deste Programa de Manutenção da Certificação e a frequência desta avaliação é definida no Regulamento Técnico doProduto para verificar se o produto continua a atender tais requisitos.


Modelo de Certificação de Lote (Modelo 7)

Este modelo inclui ensaios de tipo e ensaios de avaliação construtiva de amostras do produto para verificar a conformidade com os requisitos de certificação. A amostragem deve representar estatisticamente a quantidade do lote. Normalmente empregado para lotes importados, não sendo aplicável a avaliação do sistema da qualidade. A certificação de lote inclui a certificação de unidades (100%).


1. Coleta de Amostra do Produto para Ensaio (se aplicável)

A coleta de amostra é conduzida por um representante do Bureau Veritas com base nos requisitos estabelecidos no Regulamento Técnico relativo ao produto em questão.


2. Avaliação Construtiva do Produto

Um Auditor Especialista é designado para ser o responsável pela avaliação técnicado produto. Este Especialista conduz a avaliação construtiva, solicita e supervisiona acondução de ensaios em laboratórios, avalia os registros de ensaio, prepara osrelatórios de avaliação e ensaios e os procedimentos de acompanhamento e submetetodos os resultados a uma aprovação interna.


3. Revisão Interna e Decisão da Certificação

Uma vez concluído todos os requisitos para a certificação do produto, o Bureau Veritas apresenta os resultados à Comissão Interna de Certificação, sendo verificadas as características técnicas e sistemáticas do processo.


Arquivos Para Download